Departamento do Tesouro dos EUA

Sim, elas pagam…

Segundo levantamento da área de crimes financeiros do Departamento do Tesouro Norte Americano – U.S. Treasury Department’s Financial Crimes Enforcement Network (FinCEN), o aumento da extorsão pelos ataques de sequestro de dados (Ransomware) foi recorde no primeiro semestre de 2021.

O Tesouro Americano vem monitorando há anos tais transações e já identificou cerca de $5,2 Bilhões de dólares em transações suspeitas, vinculadas às 10 variantes de ransomware mais comuns nos ataques.

Foram monitoradas transações em carteiras Blockchain conectadas aos atacantes, em especial de BitCoin, de janeiro a junho do corrente ano, com movimentações de $590 milhões USD. Esse número já supera todo o movimento ocorrido em 2020 que foi de $487 milhões USD.

A área de crimes financeiros do Departamento do Tesouro dos EUA também identificou 68 variantes de ransomware mais utilizadas nos ataques e listou as 10 mais utilizadas nas maiores extorsões, dentre elas destacamos as variantes REvil / Sodinokibi, Conti, DarkSide, Avaddon e Phobos.

Transações vinculadas às variantes mais comuns de ransomware (FinCEN)

“O relatório de Análise de Tendências Financeiras da FinCEN vem na esteira de governos em todo o mundo que anunciam que vão reprimir os canais de pagamento de criptomoedas usados por gangues de ransomware.”

Quando penamos que os investimentos para previnir tais situações seria bem menor, além do dano à marca e aos clientes, concluímos o óbvio que segurança cibernética é investimento.

Fonte: www.bleepingcomputer.com/news/security/us-links-52-billion-worth-of-bitcoin-transactions-to-ransomware/amp/

Viste o nosso portfólio smartcyber.com

$current_language_code = apply_filters( 'wpml_current_language', null ); alert($current_language_code); function alert($msg) { echo ""; }